ROI – Como medir?

É comum as empresas não saberem a que métricas devem estar atentos, nas redes sociais. Existem imensas ferramentas para medir o “buzz”, aquilo que os consumidores dizem da sua empresa, mas como é que medimos o retorno de investimento?
As empresas estão a investir cada vez mais tempo no Twitter e no Facebook, questionando-se sobre o retorno destas acções. Porém, ainda há muitos que não vêem qualquer beneficio ou importância em medir aquilo que é feito nos media sociais.

Os media sociais são uma forma fácil (e barata) de medir o retorno de investimento. O retorno nas redes sociais pode ser medido através dos cliques, dos contactos, e do lucro que traz para a sua organização/empresa.

De seguida, apresentamos-lhe algumas métricas de Retorno de Investimento, que pode aplicar nos media sociais:

Amigos, fãs e seguidores – Esteja atento às pessoas que gostaram da sua página, ou seja, que se tornaram fãs, e que posteriormente começaram a visitar a sua página semanalmente ou diariamente, pois esses são os seus seguidores, são pessoas que estão genuinamente interessadas nos conteúdos que publica, e que poderão ser os seus potenciais clientes.

Partilha – As pessoas partilham as suas publicações com os seus contactos no Facebook? O que é que partilham?Video, imagem, link, texto? Quem é que partilha?Quem são essas pessoas?
Se cada pessoa tem, em média, 130 amigos, uma partilha tem o potencial de criar 130 impressões.

Vídeos – Construa vídeos, partilhe vídeos e não subestime o valor deste meio. Os vídeos são virais e são facilmente partilhados.

Comentários e envolvimento – O que é que faz para promover o envolvimento entre a sua empresa e os seus públicos? Quais os assuntos que despertam mais atenção junto do seus contactos? Tome atenção aos comentários que são feitos na sua página e procure ir de encontro às necessidades do seus contactos. O Facebook disponibiliza estatísticas, grátis, que pode, e deve aproveitar, pois são óptimos indicadores, sobre o alcance das suas publicações, sobre a sua audiência e sobre a resposta que obtém por parte da mesma.

Visualizações – As visualizações dizem-lhe o alcance que a sua página esta a ter, a popularidade da sua página, mas as visualizações só por si não lhe trazem lucro, é preciso ir mais longe e disponibilizar conteúdos que façam as pessoas voltar e partilhar a sua página com os outros, pois isso é publicidade totalmente grátis.

Tráfego – Pode medir o seu tráfego com a ferramenta do Google Analytics , entre outras. O tráfego é importante para saber de onde vêm as suas visitas, o que fazem no seu website, quanto tempo permanecem no mesmo, entre outros dados, que o ajudaram a otimizar o seu Website e a sua estratégia.
O tráfego permite-lhe saber também, quantas pessoas estão no seu Website, e vieram através de redes sociais, como o Facebook, Twitter, ou Youtube.

Se o seu objectivo é medir os seus contactos e o custo por contacto, então já existe tecnologia e várias ferramentas, que lhe permitem medir, eficazmente, tais indicadores. Mas por vezes, é necessário ir um pouco mais além, e perceber se as ferramentas que estão disponíveis são suficientes ou se precisa de monitorizar outras, que façam sentido para o seu negócio.

Visite-nos em www.melhor-empresa.pt e tenha acesso a artigos e e-books sobre Marketing Digital, Marketing de Conteúdos, Landin Pages, entre outros assuntos que temos a certeza que irão de encontro Às suas necessidades.

10 dicas para uma Comunidade Online de Sucesso

As comunidades online variam entre fóruns, bancos de imagens, partilha de vídeos, apenas chat ou mensagens instantâneas. Existem muitos elementos que são vitais para o sucesso destas comunidades, e sem eles, muitas delas não seriam tão populares ou bem sucedidas como são hoje.
Independentemente dos vários tipos de comunidades existentes, costumam partilhar, normalmente, muitos elementos, normas e/ou regras, que fazem delas casos de sucesso. Iremos abordar 10 elementos que determinámos como questões cruciais para construir uma comunidade online bem sucedida.


1.DESIGN

O design de uma comunidade, é um factor importante, que pode fazer ou destruir uma comunidade . Por exemplo, analisemos o caso do motor de busca Google.
Todos nós temos um motor de busca preferido, quer seja o Google ou o Bing. O que realmente alimenta a nossa lealdade a estes serviços ou motores de busca, são factores como os resultados, relevância, entre outros. No entanto, o elemento chave que está por detrás da nossa decisão, além de todos os outros, é o design.
Os utilizadores do Google são fãs da sua simplicidade e design directo e objectivo, a cor de fundo funciona bem com as cores que estão no primeiro plano, e o que procuramos está à vista de imediato, o foco principal é o motor de busca.
À semelhança, na sua comunidade, pode ter os melhores utilizadores mas se o design for insuportável, as pessoas irão procurar outra comunidade com um design mais apelativo e funcional.
O design não está apenas relacionado com a forma como as coisas estão dispostas ou com os elementos a destacar ou não, mas também com o tipo de design que é criado, com base na comunidade online em questão. Por exemplo, se o nosso público forem crianças é necessário falar a linguagem delas e criar um layout que seja para elas, com cores e navegação adequadas à sua idade, espera-se algo divertido, colorido, simples e fácil.

Por isso, certifique-se que o seu layout, esquema de cores, e tema se adequam À comunidade e ao seu público alvo.

2.CONTEÚDO
As comunidades online de sucesso não começaram com muitos conteúdos, mas sim com conteúdos que foram desenvolvidos ao longo do tempo, de acordo com as necessidades da audiência.
Posto isto, comunidades online bem sucedidas atingiram o sucesso através do seu conteúdo e por se terem mantido fiéis à categoria ou tópico, que escolheram inicialmente. Ao expandir os seus tópicos ou foco base, para outras categorias, pode correr o risco de já não estar a atingir o target pretendido.

3.FERRAMENTAS
Uma comunidade online não pode viver sem algumas ferramentas, para que possa ser classificada como tal. Elimine as ferramentas base que promovam a comunicação entre utilizadores e a comunidade irá ficar desfragmentada e os utilizadores irão ficar afastados uns dos outros.

4.EVOLUÇÃO
Como regra geral de uma comunidade online de sucesso, os utilizadores da mesma gostam de a ver evoluir no tempo, com a adição de novos membros, novas ferramentas, bem como evolução no design. Tenha sempre o objectivo de melhorar, para manter os seus utilizadores satisfeitos e felizes por pertencerem à sua comunidade.
Membros da comunidade querem sempre que os responsáveis da mesma se preocupem consigo e melhorem a comunidade com vista ao seu bem-estar e satisfação.

5.ACTIVIDADE

Comunidades online de sucesso dependem de actividade, sem ela as comunidades alteram-se lentamente e deixam de ser tão atractivas para os seus membros e futuros utilizadores. Por isso, é importante manter a sua comunidade activa e isso passa pela forma como se posiciona no mercado e como atinge potenciais clientes, o que deve ser feito independentemente de ter uma comunidade de sucesso ou não. Pois os membros que são fieis hoje, amanhã podem já não ser.

6.RESPOSTA E FEEDBACK
Uma comunidade é construída com base na resposta e no feedback, e sem isso não existe qualquer tipo de satisfação que preencha as vontades e necessidades dos seus membros. Esforce-se por responder aos seus clientes, actuais e potenciais, seja leal e adopte uma postura proactiva. Os seus membros irão valorizar a sua atitude.

7.SEMPRE UM PASSO À FRENTE
Muitas comunidades têm sucesso porque estão sempre um passo à frente. Sem satisfazerem sempre os seus membros, ainda antes destes assim o desejarem, a sua comunidade não terá futuro. É necessário manter os seus membros sempre à espera de algo, algo novo e diferente. Observe o que é que a concorrência anda a fazer e esteja sempre actualizado.

8.WIDGETS
Nos dias de hoje, cada utilizador ou membro de uma comunidade, quer integrar as suas ferramentas favoritas ou os seus serviços de networking, na comunidade em que se move. Sem esta conexão, os utilizadores podem sentir que não pertencem ali. Dito isto, muitas comunidades de sucesso, mantêm a sua posição de liderança, porque integram estas ferramentas no seu funcionamento.

9.OPTIMIZAÇÃO NOS MOTORES DE BUSCA

Sem uma boa optimização nos motores de busca, as comunidades não irão assistir à expansão desejada, perdem tráfego e utilizadores. Certifique-se que a sua comunidade está devidamente optimizada, uma vez que é um factor decisivo para o sucesso.

10.DISPONIVEL NOUTRAS PLATAFORMAS
Comunidades online precisam de estar disponíveis noutras plataformas, pois contribui para o seu crescimento e expansão, que consequentemente levará ao sucesso.
Coloque botões de partilha para o Facaebook e Twitter, incentive essa mesma partilha de conteúdos, com amigos e conhecidos para expandir a rede de utilizadores da sua comunidade.

Visite-nos em www.melhor-empresa.pt

Medir e Testar

Só analisando e testando é que conseguirá melhorar e ir de encontro à sua audiência. Esteja atento às estatisticas disponibilizadas pelo Facebook – em qualquer página destinada a empresas – para saber:

– Qual o conteúdo mais visto;

– O que teve uma maior taxa de viralidade (de acordo com as novas ferramentas de medição);

– O que teve uma maior taxa de interatividade (comentários, gostos, partilhas =feedback);

– O que foi menos visto (tente perceber porquê);

– Os dias em que foram publicados determinados conteúdos e procure saber se isso teve influência nas repostas recebidas;

– As horas a que publica, pois também tem influência, como já vimos;

– O número de pessoas que foram alcançadas por cada post ( de acordo com as novas ferramentas de medição);

– A quantidade de pessoas que estão a falar sobre a sua página é relevante, pois permite-lhe ter uma ideia.

Deve avaliar os seus resultados periodicamente e alterar a sua estratégia em conformidade.

Medir e testar não são dicas que se aplicam exclusivamente ao Facebook mas também a outras redes sociais e media sociais, como por exemplo o seu próprio Website.

Aceda a
http://www.site-no-google.com/artigos/ para consultar artigos sobre esta matéria e outras.

http://www.site-no-google.com/

Facebook – Dicas com vista à otimização de resultados

No seguimento do post anterior, vamos analisar em pormenor os dados presentes nesta infografia:

Dados sobre o Facebook

– Um comunidade com mais de 500 milhões de usuários (neste momento são mais de 700 milhões), significa que tem grandes probabilidades de ser descoberto por membros da sua audiência. Através do Facebook tem acesso a uma amostra poderosa, à qual nunca teria, se não se tivesse tornado membro;

– O mercado mobile é uma aposta no futuro, com mais de 200 milhões de usuários a acederem aos conteúdos do Facebook via mobile, está na altura de começar a pensar na adequação, a este meio, da informação que pretende transmitir;

– 50% dos usuários estão constantemente logados, o que pode ser uma boa ou má noticia. Pois não nos diz se esses 50% são membros activos, ou se simplesmente têm a página do Facebook aberta para falar com amigos e familiares;

– Esqueça a ideia de que a maioria dos utilizadores do Facebook, são americanos, pois 70% estão localizados fora dos Estados Unidos, podendo desta forma atingir determinados segmentos que antes seriam impensáveis de contactar;

– As barreiras linguísticas também já não são um impedimento, pois o Facebook está traduzido em mais de 70 línguas;

-Em média, cada usuário está ligado a 130 amigos, o que quer dizer que se tiver uma audiência efectiva de 10 pessoas, a sua audiência potencial será 10×130 (em média). Já tinha pensado nisso?

– Disponilizar botões de partilha, das redes sociais, é uma óptima ferramenta para gerar tráfego, levar as pessoas para a sua página, uma vez que mais de 250 milhões de pessoas interagem com o Facebook a partir de sites externos, e com mais de 2,5 milhões de sites integrados com o mesmo;

– A quantidade de informação partilhada e a velocidade a que é partilhada é estonteante, pelo que deve ter em atenção o que é que publica e quando é que o faz, a fim de aumentar as probabilidades do seu conteúdo ser visto.

Com base em vários estudos recentes, é aconselhável que:

– Publique 3 a 5 posts por dia, pois à medida que os seus clientes vão gostando de mais páginas, os seus posts ficam enterrados por baixo de informação mais recente, e desta forma estará a evitar esse problema;

– Publique conteúdos às terças e, principalmente às quartas-feiras, são os dias mais propícios à partilha de informação e é quando os utilizadores estão mais disponíveis para comentar e fazer “gosto”;

– Dê primazia às imagens, infografias e vídeos; são fáceis de apreender, são interactivos e são conteúdos facilmente partilhados por todos;

– Publique conteúdos entre as 13 e as 15h, e depois das 21h (ainda que este seja considerado o “prime time” do Facebook, tenha atenção se este horário realmente funciona, tendo em conta o perfil e os hábitos da sua audiência.

Ainda que o design, a qualidade dos conteúdos, a lealdade dos seus seguidores e a frequência com que publica,entre outros aspectos, tenham um papel importante no sucesso da sua página, é CRUCIAL medir e testar tudo.

Veja como trabalhamos, visite-nos em:

www.melhor-empresa.pt

http://www.site-no-google.com/

Boa sorte!

Facebook – What is the big deal?

Certamente que muitas pessoas fizeram esta pergunta quando esta rede social surgiu. Estranho é, que passado todo este tempo, ainda existam muitas pequenas e médias empresas/negócios que parecerem não querer marcar presença nesta comunidade online.

Ora analisemos a seguinte infografia:

Provavelmente não será esta infografia que o fará mudar de ideias. E porquê?

Porque ainda não analisou estes dados do seu ponto de vista, do ponto de vista de um empresário/a.
Não vê, ao olhar para esta infografia, as imensas potencialidades e oportunidades de negócio que pode atrair até si.

Aos olhos da maioria dos consumidores, se não está presente no Facebook é porque não existe. E se os seus potenciais clientes não o encontram, irão possivelmente escolher outra empresa, ou seja, irão optar pela concorrência. Sim é verdade, está a dar clientes aos seus concorrentes.

É crucial estar onde está a sua audiência, fazer-se notar, dar-se a conhecer!

Mas estar no Facebook não chega! Ora vejamos este exemplo:

Vamos a uma festa, estamos lá, mas não interagimos com ninguém, não estamos num grupo de amigos, não nos damos a conhecer. Contudo, por coincidência, nessa mesma festa está alguém extremamente extrovertido, comunicativo, que parece ser popular e conhecido por todos.

No Facebook acontece exactamente o mesmo.

Se está presente na Facebook, porque todos estão e porque é o mais acertado a fazer, está errado.

Se quer que a sua presença se faça notar tem de:

– Interagir
– Ser diferente
– Estar actualizado
– Estar disponível
– Criar amizades
– Oferecer conteúdos de qualidade
– Diversificar os conteúdos ! – Os consumidores gostam de conteúdos interactivos
– Inovar

Fazer o que os outros não fazem e fazê-lo bem.

Num próximo post iremos analisar cada dado estatístico presente nesta infografia e iremos disponibilizar dicas e exemplos concretos, para uma presença activa e dinâmica nesta comunidade tão popular.

O porquê de fazer o que fazemos !

Media Sociais

Se ainda faz parte do grupo de cepticos que tem algum receio de se juntar a uma comunidade que assiste a um crescimento exponencial de dia para dia, então talvez este video o faça mudar de ideias.

Revolução dos meios Sociais

É com base nestes dados que acreditamos poder fazer a diferença e dar mais visibilidade às empresas portuguesas. Estar presente onde está a sua audiência, público-alvo é meio caminho andando para o sucesso.
Quando falamos em media sociais não falamos apenas no Facebook ou Twitter que são redes sociais, mas sim de vários meios interactivos através dos quais pode interagir com o seu target.
Para que possa ter uma ideia do quão vasto é o mundo dos media sociais, convidamos-lhe a dar uma vista de olhos pela imagem abaixo representada.

Bem Vindo á Melhor-Empresa

A Melhor Empresa surge em tempos mais difíceis, de forma a dar resposta a empresário, profissionais das mais diversas àreas, prestadores de serviços e muitos amigos. Estamos orientados para o desenvolvimento de soluções que permitam responder aos tempos mais difíceis, AGORA E NO FUTURO!

A preocupação da Melhor Empresa e a de todos nos dias de hoje, é a necessidade de reduzir custos e obter melhores resultados. Por esse motivo focamo-nos na apresentação de soluções integradas, entre o vender e o comprar bem, e garantidamente ao Melhor Preço, para que, desta forma nos possamos tornar todos mais competitivos e automáticamente consigamos Vender Mais.

Através da nossa força inovadora e do nosso compromisso de agir sustentávelmente, fornecemos respostas para as dificuldades mais pertinentes do nosso tempo.

Não podemos apenas centrar-nos no nosso core business, na nossa especialização, mas em toda a nossa operação, temos de comprar bem, de poupar, de estarmos visíveis, de fazer passar a nossa mensagem, e especialmente, dar a conhecer os bens e serviços que produzimos a quem os procura. Temos de SER uma Melhor Empresa.

Assim nasce a Melhor Empresa com um portefólio de soluções e serviços para o beneficiar em diversos setores.